sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Assisti e Recomendo: Desafiando Gigantes

Imagem: Divulgação
Hoje a Pequena Missionária traz uma dica especial para o seu final de semana. Que tal uma pipoquinha e um bom filme? Ao assistir "Desafiando Gigantes", você desfruta de um momento de descanso, distração e lazer e ainda absorve um conteúdo especial para a sua vida!

Quem nunca teve que enfrentar grandes desafios na vida? A diferença entre o vencedor e o perdedor pode estar em sua fonte de apoio. E é com vistas nesse ponto que eu indico o filme Desafiando Gigantes, que trata da história do técnico de futebol americano de uma escola, Grant Taylor, que em seis anos não consegue levar seu time, Shiloh Eagles, a uma temporada de vitórias. Por isso, todos começam a vê-lo como um derrotado e a direção da escola pensa em demiti-lo.

O filme trata sobre problemas cotidianos, facilmente vividos por qualquer pessoa em seu ambiente de trabalho, em casa, com a família e financeiramente.

Em casa, dificuldades cotidianas ou esporádicas também fazem com que o técnico tenha sua auto-estima abalada. A esposa quer muito ter um filho e, depois de alguns exames, o casal descobre que o problema está com ele, que não se encontra em condições financeiras para arcar com tratamentos de fertilidade. Depois de tantos reveses, o pensamento de desistir de tudo lhe passa pela cabeça. Até que um visitante inesperado o desafia a acreditar no poder da fé. E é na oração e na leitura da Bíblia que Taylor descobre a força da perseverança para vencer.

Depois de descobrir que a Bíblia pode conter a solução para sua vida, Taylor passa a usá-la no trabalho, contagiando os jovens que treina e promovendo mudanças na vida deles também.

A direção é de Alex Kendrick, que também é o ator principal, e a distribuidora é a Sony Pictures. Não deixe de assistir essa emocionante produção que relaciona a fé em Deus às lutas e situações do dia a dia. Não deixe de comentar o que achou do filme depois, ta bom?

Boa diversão!

Jesus te abençoe!

Um comentário:

João Paulo de Oliveira Bueno disse...

Não sei se existe tal prática, mas esse filme é o meu filme de cabeceira! Assisti ele em 2007 e me apaixonei e aí todo mês, a partir de então, assisto ele com amigos. A história é muito boa e metaforiza com a vida de cada um de nós.